Área Restrita
Portal

MedSys.Net
 Dúvidas?
Imprensa
Alergias são comuns no inverno

Jornal Vidaqui nº 347 - 08 a 14 de junho de 2012

Inverno, estação em que muitas pessoas, especialmente crianças e idosos, são acometidas por crises de alergia. As doenças de inverno mais comuns são: asma, rinite, sinusite, gripe, resfriado e bronquite. Dentre elas, destacam-se a asma e a rinite. De acordo com a ASBAI – Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia, a asma atinge 10% da população brasileira. Aponta-se que 78% dos pacientes com asma têm também rinite alérgica, e as duas doenças podem ser desencadeadas pelos mesmos alérgenos, que podem ser pólens, mofos, pêlos de animais, ácaros e poeira. As manifestações clínicas de crises alérgicas são: Tosse, coriza, coceira nos olhos e garganta e até mesmo alterações na pele.

As principais recomendações para evitar os sintomas são: manter a casa e o ambiente de trabalho limpos, abrir portas e janelas deixando o sol entrar, trocar os lençóis uma vez por semana, evitar fumaça de cigarro e odores fortes como perfumes de produtos de limpeza. Uma medida importante é lavar cobertores e roupas de inverno que ficaram guardados do ano anterior. Também é essencial manter uma alimentação saudável, rica em verduras, frutas e legumes e tomar muita água.

O ar seco nesta época do ano pode desencadear o eczema atópico, nome técnico usado para indicar doenças de pele de forma geral. O eczema atópico é uma dermatite que pode ser a porta de entrada para outros quadros alérgicos.

Uma das dermatites de inverno é a Pitiríase Alba, que se apresenta por manchas claras, arredondadas, finamente descamativas,se manifestando principalmente em bochechas, pescoço, parte superior do tórax e dobra dos braços e está relacionada ao ressecamento da pele. Acomete com mais frequência crianças, adultos jovens e pessoas com história pessoal ou familiar de asma, bronquite, rinite alérgica e eczema atópico. A forma de evitar esta alergia é hidratar ao máximo a pele, não usar sabonete nas regiões afetadas e evitar banhos muito quentes e demorados.

É importante lembrar que no aparecimento desses sintomas, é necessário consultar um médico para que o tratamento possa ser bem indicado e mais efetivo.

 


Publicado em: 11/06/2012 - Fonte: Enfermeira Luciana Scheffel, Auditoria Plasac Saúde