Área Restrita
Portal

MedSys.Net
 Dúvidas?
Imprensa
Adolescentes vivem em situação de risco

Jornal Vidaqui nº 321 - 02 a 08 de dezembro de 2011

O alcoolismo na adolescência cresceu muito na última década. Não é raro o problema começar em casa, onde muitos pais consomem grande quantidade de álcool até caírem bêbados na próprias casas, incutindo nas cabeças de nossa crianças que é vício aceito e permitido pela sociedade.

Sem desprezar os fatores genéticos e emocionais que influem no consumo da bebida – o álcool reduz o nível de ansiedade e algumas pessoas estão mais propensas a desenvolver o alcoolismo-, a pressão do grupo de amigos, o sentimento de onipotência próprio da juventude, o custo baixo da bebida, a falta de controle na oferta e consumo dos produtos que contém álcool, a ausência de limites sociais colaboram para que o primeiro contato com a bebida ocorra cada vez mais cedo.

A grande verdade é que o consumo de bebida alcoólica é aceito e até estimulado pela sociedade. Pais que entram em pânico quando descobrem que o filho ou filha fumou maconha ou tomou ecstasy numa festa, acham normal que eles bebam porque afinal, todos bebem! É comum adolescente se reunirem em casa, antes de uma balada, para um “esquenta”, ou seja, para beber alguma coisa e chegar meio alcoolizados à festa. E tudo com a anuência dos pais.

Não se pode esquecer de que, em qualquer quantidade, o álcool é uma substância tóxica e que o metabolismo das pessoas mais jovens faz com que seus efeitos sejam responsáveis pelo aumento do número de acidentes e atos de violência, muito deles fatais.

Independentes do sexo, 25% dos adolescentes bebem em quantidades perigosas do ponto de vista biológico. A propaganda dirigida ao público jovem é mais intensa hoje e existem produtos especialmente desenvolvidos para essa faixa etária (por  exemplo as sodas alcoólicas que contém mais álcool que a cerveja).

Devemos lembrar que em países do primeiro mundo não é normal o consumo de bebidas alcoólicas em adolescentes  de 14 anos como vemos aqui no Brasil. Nos países como os Estados Unidos, por exemplo, a idade mínima para comprar bebida alcoólica é 21 anos, além de ser proibido o consumo na rua.

Mas o bom senso tarda mas não falha, e tivemos ainda este mês o início de uma fiscalização ativa a cerca da proibição da venda de bebida alcoólicas para menores de 18 anos.

Agora só falta a conscientização dos pais para não incentivar o consumo, afinal esta droga legalizada além de atrapalhar o desenvolvimento de nossos filhos, pode levá-los a morte, visto todos estes acidentes fatais diários nos noticiários.


Publicado em: 02/12/2011 - Fonte: Drª Rosana Barnez, Gerente Médica do Plasac Saúde